• Sugestões de Melhoria e Reclamações

    Na Universidade de Coimbra, a sua opinião conta.

    Por isso criámos o Sistema Integrado de Melhorias: um canal aberto para a apresentação de sugestões de melhoria ou reclamações, possibilitando assim que o possamos servir cada vez melhor.

    Para manifestar a sua opinião específica sobre a página web UC.PT, clique aqui.

    Obrigada.
    Universidade de Coimbra

    Imagem de teste reCAPTCHA
    Captcha incorrecto.
    Escreva as palavras acima: Escreva os números que ouve:

O Pulsar da Revolução.Setembro 1973

7 de Setembro
•Reunião de capitães em casa de Diniz de Almeida. Conta com a presença de Ponces de Carvalho, Sousa e Castro, Bicho Beatriz, Vasco Lourenço, Rosário Simões, Carlos Camilo e Diniz de Almeida. Ultimam-se os preparativos para a realização de uma reunião de capitães em Évora.
•Reunião de ex-cadetes na Guiné em que se defende a institucionalização do Movimento.
 

9 de Setembro
•Em Monte Sobral (Alcáçovas), numa herdade do Alentejo, 136 capitães assinam um documento dirigido ao Presidente do Conselho, com conhecimento ao Presidente da República, posteriormente posto a circular, para recolha de assinaturas de solidariedade.
•É eleita uma Comissão Provisória do Movimento dos Capitães com a seguinte composição: Capitães Vasco Lourenço, Sousa e Castro, Mário Frazão e Diniz de Almeida; Majores Hugo dos Santos, Mariz Fernandes, Campos Andrade e Sanches Osório.
 

10 de Setembro
•94 oficiais do Quadro Permanente em serviço em Angola assinam uma exposição em que avisam o Presidente do Conselho de Ministros de que a entrada em vigor dos D. L. 353/73 e 409/73 "provocará indubitavelmente uma onda de descontentamento generalizado, pelo menos nas classes de oficiais do Quadro Permanente directamente afectadas."
 

13 de Setembro
•107 oficiais do Quadro Permanente em serviço em Moçambique, assinam uma exposição de teor idêntico ao de Angola.
 

14 de Setembro
•Na sequência de uma nota confidencial do Governo Militar de Lisboa, é emanado do gabinete do Secretário de Estado do Exército um documento ameaçando os militares envolvidos no Movimento de incorrerem em penas previstas no Regulamento de Disciplina Militar ( RDM).
•Encontro dos generais António de Spínola, Venâncio Deslandes e Kaúlza de Arriaga, durante o qual é levantada a hipótese de substituição de Marcelo Caetano.
 

15 de Setembro
•É publicado o primeiro número do Boletim de Informação do Movimento dos Capitães.
 

21 Setembro
•Reunião em Luanda do Movimento dos capitães, na qual se decide elaborar um pedido colectivo de demissão de oficial do Exército, para o caso de os decretos entrarem em vigor.
É ainda eleita a primeira comissão do Movimento dos capitães em Angola, constituída pelos capitães Vilas Boas,  Sousa Guedes, Américo Moreno, Soares e Rui Tomás.
 

24 de Setembro
•O PAIGC proclama unilateralmente a independência do Estado da Guiné-Bissau. Oitenta e oito países reconhecem quase de imediato o novo país.
 

26 de Setembro
•Entrega por Vasco Lourenço e Hugo dos Santos, em S. Bento, de um documento elaborado em Moçambique e assinado por 106 oficiais.
•Reunião do Conselho Superior do Exército, para debate do problema dos capitães. Só o CEMGFA, General Costa Gomes argumenta a favor da revisão dos decretos.
•Nova reunião de oficiais em Luanda, durante a qual se fez a recolha dos pedidos individuais de demissão e se discutiu e elaborou também o documento colectivo preconizado em reunião anterior. 
•As delegações do PCP e do PS retomam contactos estabelecidos em Junho, em França, num encontro entre Álvaro Cunhal e Mário Soares: nesta data divulgam um comunicado conjunto em que se defende " o fim da guerra colonial e negociações com vista à independência completa e imediata dos povos de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique".
 

Ainda em Setembro 
•Reunião de ex-milicianos na Costa da Caparica. Decidem continuar atentos à situação e não abandonar a legalidade.
•Reunião do Movimento com oficiais de Engenharia. Esteve presente Vítor Alves, primeiro oficial do Corpo de Estado Maior a  participar no Movimento.
•Vasco Lourenço e Hugo dos Santos são incumbidos da missão de ir à Direcção da Arma de Engenharia explicar aos oficiais de Engenharia os objectivos do Movimento. Estará presente nessa reunião Vasco Gonçalves.
•Constitui-se a organização "Associação de Estudos para o Progresso Nacional". Formada por tecnocratas de extrema direita, que não apoiaram as teses da ANP depois do Congresso de Tomar, ou por quadros salazaristas conservadores. Da sua direcção fazem parte Luís Sequeiros, Gomes de Pinho, Artur Anselmo, Francisco Lucas Pires, José Vale de Figueiredo. (JSC)
•É fundado o Partido Revolucionário do Proletariado (PRP).

Topo da página
Centro de Documentação 25 de Abril © 2017
Suporte: ucd25a@ci.uc.pt ; Sugestões: Formulário
www.cd25a.uc.pt
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional