• Sugestões de Melhoria e Reclamações

    Na Universidade de Coimbra, a sua opinião conta.

    Por isso criámos o Sistema Integrado de Melhorias: um canal aberto para a apresentação de sugestões de melhoria ou reclamações, possibilitando assim que o possamos servir cada vez melhor.

    Para manifestar a sua opinião específica sobre a página web UC.PT, clique aqui.

    Obrigada.
    Universidade de Coimbra

    Imagem de teste reCAPTCHA
    Captcha incorrecto.
    Escreva as palavras acima: Escreva os números que ouve:

O Pulsar da Revolução.Outubro 1974

1 de Outubro
•Tomada de posse do 3ª Governo Provisório, chefiado por Vasco Gonçalves. São afastados do elenco governativo Firmino Miguel e Sanches Osório.
 

2 de Outubro 
•É libertado o líder do MRPP Saldanha Sanches.
 

5 de Outubro
•Comemorações da implantação da República. Vasco Gonçalves discursa no Porto e Costa Gomes em Lisboa.
•A ponte sobre o Tejo inaugurada em 1966 com o nome de Ponte Salazar é rebaptizada: passa a chamar-se Ponte 25 de Abril.
 

6 de Outubro
•"Um dia de trabalho para a Nação". Por proposta do Primeiro Ministro um domingo é transformado em dia útil de trabalho oferecido gratuitamente pelos trabalhadores ao país. Os meios de comunicação informam que a adesão é significativa e o resultado financeiro desta campanha será dias mais tarde estimado pelas entidades oficiais competentes em cerca de 13000 contos.
•Fim da greve no Jornal do Comércio.
 

7 de Outubro
•É criada, sob o controle de Otelo Saraiva de Carvalho, a Comissão para a Liquidação das Actividades Fascistas.
 

8 de Outubro
•Carlos Fabião e Fisher Lopes Pires são escolhidos para integrar a JSN, em substituição dos elementos afastados na sequência do 28 de Setembro.
 

10 de Outubro
•O D. L. nº 533/74 vem abolir o regime de condicionamento industrial, legislação criada para a indústria pelo regime deposto e que se revelara na prática o garante da política proteccionista dos fortes grupos monopolistas portugueses.
•Em Angola têm início as conversações com a Frente de Libertação de Angola (FNLA) .
•A Comissão "Ad-Hoc" para a Imprensa suspendeu durante 60 dias o Jornal Português de Economia e Finanças  por atacar o MFA  e as Forças Armadas.
 

11 de Outubro
•Comício do PS no Pavilhão dos Desportos em Lisboa. Mário Soares declara: "é necessário ganhar a classe média, a pequena burguesia, os pequenos comerciantes e os pequenos proprietários, porque também são povo e estão com a democracia".
 

11 e 12 de Outubro
•Encontros em Kinshasa entre uma delegação portuguesa com o Presidente Mobutu e mais tarde com uma delegação da FNLA. É decidido a cessação de hostilidades a partir de 15 de Outubro.
•Plenário da Intersindical realizado no Porto.
 

12 de Outubro
•É publicado o D. L. nº540-A/74, que ficou conhecido por Intervenção  do Estado na Banca e que cria a possibilidade de, "em situações específicas em relação a determinadas instituições" o Estado participar na administração de  instituições de crédito, "por meio de administradores seus ou de delegados do Governo". 
•Alguns jornais noticiam que, em Espanha, foi criado um Governo no Exílio constituído por figuras directamente comprometidas com o anterior regime.
 

13 de Outubro
•No seu primeiro congresso no Porto a LCI lança a proposta de criação de uma frente única da classe operária.
 

15 de Outubro
•É publicada a Lei nº9/74 que faz desaparecer da Lei Constitucional a referência ao Estado Português da Índia e autoriza a conclusão de um acordo entre Portugal e a União Indiana "pelo qual Portugal reconhece a plena soberania da União Indiana  sobre os territórios de Goa, Damão, Diu, Dadrá e Nagar-Aveli".
•O Jornal Abertura, órgão do Movimento das Forças Armadas de Angola, publica um texto em que é anunciada a necessidade imperiosa de restruturação dos órgãos directivos do MFA Angola após a demissão conjunta dos elementos que integravam este órgão, criando um impasse. Segundo o jornal, é necessária “a suspensão do impasse porque o MFA é um movimento de índole revolucionária, não podendo portanto compadecer-se com qualquer tipo de paragens”.
 

16 de Outubro
•O dirigente do PL e membro da comissão organizadora da Maioria Silenciosa, Francisco Van Uden, chega a Espanha, onde fixará a sua residência, e organizará o ELP, que começa a funcionar a partir de Janeiro de 1975, e do qual será o principal chefe operacional. (JSC)
 

17 de Outubro
•Pela primeira vez na história, um Presidente da República Portuguesa, o general Costa Gomes, discursa perante a Assembleia Geral da ONU. Afirma na ocasião: "o povo português considera-se irmão de todos os povos oprimidos".
 

18 de Outubro
•O Governo decide criar um grupo de trabalho com a finalidade de apresentar um plano de acção económico-social. Constituído por Rui Vilar, Silva Lopes, Maria de Lurdes Pintasilgo e Erik Lundberg, e coordenado por Melo Antunes.
•Em Washington, Costa Gomes e Mário Soares estabelecem contactos com vista a obtenção de ajuda económica a Portugal. Henri Kissinger promete enviar brevemente a Portugal uma missão, para avaliar, no terreno, a situação política e a credibilidade de Mário Soares e do PS. Neste encontro, no entanto, segundo Mário Soares, o Secretário de Estado Norte-americano ter-lhe-á dito: " Portugal está perdido. Eu aconselho-o a ficar nos Estados Unidos da América, porque é melhor que você não seja um segundo Kerensky ".
 

19 de Outubro
•Almeida Santos visita Timor.
 

20 de Outubro
•O PCP, no VII Congresso (extraordinário) e primeiro realizado em Lisboa desde 1932, faz algumas alterações ao seu programa, dele retirando a expressão "ditadura do proletariado". Este é o primeiro congresso partidário depois do 25 de Abril. Os restantes partidos irão proceder igualmente a congressos para promover a discussão ideológica e pragmática.
 

21 de Outubro
•Toma posse o Governo Provisório de Angola.
 

22 de Outubro
•Segundo as Forças Armadas já não há militares portugueses na Guiné. Os últimos terão regressado a 15 de Outubro.
•No regresso da sua viagem ao Oriente o ministro Almeida Santos afirma "Timor optará pela manutenção de laços estreitos com Portugal e Macau quer continuar a ser administrado pelos Portugueses".
•Como resultado do primeiro encontro formal entre as delegações portuguesa e do MPLA este movimento difunde um comunicado em que anuncia o fim da  luta-armada.
 

23 de Outubro
•Na imprensa surge o anúncio do início das "Campanhas de Dinamização Cultural". Serão coordenadas pela Comissão Dinamizadora Central (CODICE), integrada na 5ª Divisão do EMGFA, e o seu objectivo fundamental será o de "cumprir integralmente o Programa do MFA e colocar as Forças Armadas ao serviço de um projecto de desenvolvimento do povo português".
•É publicado o D. L. nº 551/74 que estabelece as medidas necessárias ao saneamento e restruturação da Federação Nacional para a Alegria no Trabalho (FNAT).
•Uma tentativa de golpe da Frente de Resistência Angolana (FRA) falha devido à intervenção do MFA de Angola.
 

25 de Outubro
•O PPD realiza o seu primeiro comício no Pavilhão dos Desportos em Lisboa. Sá Carneiro, secretário-geral do partido afirma: "assumimos a tradição liberal e republicana, as correntes do humanismo social cristão, as experiências contemporâneas de socialismo em liberdade que são as sociais democracias".
 

29 de Outubro
•O Boletim do MFA publica o artigo intitulado «Do Económico ao Social», onde traça um quadro muito crítico da situação económica e pergunta o que é feito do Plano de Acção Económica.
•Pelo D. L. nº 553-A/74, é constituída e determinada a entrada em funcionamento da Empresa Pública de Águas de Lisboa (EPAL).
 

30 de Outubro
•Visitam Lisboa, a convite do PS, Willy Brandt e Olof Palme, bem como os secretários-gerais do PS e da Juventude Socialista do Chile.
•No seguimento dos acontecimentos do 28 de Setembro, começa a organizar-se o Movimento Democrático para a Libertação de Portugal (MDLP). Este movimento clandestino de direita, composto por militares e civis conotados com a chamada Maioria Silenciosa tem um directório político chefiado por António de Spínola, sendo o seu chefe operacional Alpoim Calvão. (JSC)
•Spínola encontra-se com Alpoim Calvão em Massamá, para a preparação de um golpe de Estado. (JSC)

Topo da página
Centro de Documentação 25 de Abril © 2017
Suporte: ucd25a@ci.uc.pt ; Sugestões: Formulário
www.cd25a.uc.pt
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional